• STRATEGY BLOG
  • Site
  • Facebook
  • Linkedin
  • Google Plus
  • Youtube
  • Slideshare
  • Google Maps
  • Email

Como a Gestão de Mudanças Pode Ajudar a Área da Saúde a Atingir seus Objetivos?





Muito se tem falado sobre o atual momento em que vivemos. A Covid-19 nos trouxe uma série de desafios, mas nada comparado com a extenuante missão dos profissionais da área da saúde. Qual o paralelo que podemos traçar com as iniciativas da Gestão de Mudanças Organizacionais? De alguns bons textos sobre o tema, trazemos para vocês algumas reflexões para o seu entendimento.

À medida que novos vírus e bactérias resistentes aos antibióticos causam pandemias, os médicos se perguntam como eles podem se proteger e a seus pacientes contra essas infecções emergentes e às vezes até mortais. Da mesma forma, os líderes da área de saúde querem saber como conduzir sua equipe e o público através das mudanças críticas necessárias para tratar essas doenças problemáticas. Embora essas situações apresentem desafios únicos, os princípios básicos da Gestão de Mudanças se aplicam claramente. 

DESAFIOS EXCLUSIVOS DA ÁREA DA SAÚDE 

1. Natureza Autônoma dos Empregados 

Por sua natureza, a saúde exige um alto grau de autonomia e pensamento independente. Os médicos geralmente têm dificuldade em aceitar a mudança pelo valor nominal, sem evidências claras e convincentes. 

O desafio com novos vírus (novos), como o COVID-19, é que o modo de transmissão no início é desconhecido, assim como o período de incubação. Isso apresenta muitos desafios para os médicos porque eles não sabem com o que estavam lidando. Enquanto este artigo é escrito, o entendimento completo do COVID-19 ainda está evoluindo. Não é difícil convencer os médicos da necessidade de mudanças na prestação de cuidados para estes grupos finitos de pessoas, mas esses médicos ainda podem não ter todas as informações necessárias para fornecer os cuidados adequados, protegendo a si mesmas e a outros do vírus. 

2. Falta de Recursos Designados 

Com a necessidade de mudanças imediatas, conforme necessário para pacientes em potencial com COVID-19, há pouco tempo para planejar e fornecer recursos ao esforço. As instituições que gerenciam um afluxo de pacientes com um potencial diagnóstico de COVID-19, acharão difícil fornecer os cuidados especializados necessários, sem ter pessoal dedicado designado para gerenciar a mudança. Além disso, eles podem ficar sem recursos financeiros ao contratar outras unidades de atendimento para continuar os negócios como de costume, quando muitos de seus recursos foram redirecionados para lidar com a crise da pandemia. 

COMO A GESTÃO DE MUDANÇAS PODE AJUDAR

1. Alinhamento com as Características dos Colaboradores 

Os participantes identificaram as várias maneiras de adaptar a Gestão de Mudanças para trabalhar com os colaboradores. Isso incluiu médicos e outros profissionais de saúde nas equipes de Gestão de Mudanças para atender às expectativas de um alto grau de colaboração e para aumentar o envolvimento das partes interessadas. 

É imperativo utilizar uma abordagem colaborativa para conscientizar todos os clínicos, incluindo a equipe de suporte, sobre as especificidades da mudança que está sendo implementada para gerenciar pacientes que apresentam potencial coronavírus. Será necessário se envolver com todas as disciplinas envolvidas no atendimento a esse grupo finito de pacientes.

2. Comunicação em Toda a Organização 

Os profissionais de mudança devem adaptar as comunicações para obter adesão e alcançar o maior número possível de pessoas em toda a organização, trabalhando em vários departamentos clínicos e administrativos e em turnos que abrangem os cuidados 24x7x365. Uma estratégia útil é garantir que as comunicações sempre vinculem a mudança às melhorias no atendimento ao paciente. As informações sobre o COVID-19 estão em constante evolução. A comunicação aberta e frequente através de todas as vias possíveis é vital para cuidar dos pacientes e proteger os médicos e a equipe de suporte que prestam atendimento a esse grupo finito de pacientes – enquanto protegem outros pacientes sob seus cuidados. Embora não seja uma melhoria direta no atendimento ao paciente, essa mudança é mais orientada a resultados na redução da exposição a outras pessoas e ainda oferece qualidade e atendimento abrangente aos pacientes afetados. 

QUESTÕES DE PATROCÍNIO 

No nível regional, executivos de hospitais e diretores médicos são os patrocinadores de suas próprias instituições. Eles são responsáveis por garantir que as estratégias atuais de informação, comunicação e assistência sejam implantadas. Quando as organizações de saúde enfrentam uma crise de pandemia, a Organização Mundial da Saúde (OMS) pode ser considerada o patrocinador executivo, fornecendo orientação, direção e informações atualizadas sobre a situação. 

Atualmente, a OMS está solicitando que todos os países melhorem a sua comunicação com eles nos achados epidemiológicos, gravidade dos sintomas, etc. Isto irá permitir-lhes determinar padrões de cuidado desses pacientes e desenvolver modalidades de tratamento em potencial.

O que é notável é que atualmente a OMS está recebendo relatórios de apenas 38% dos casos existentes. Eles também estão tendo extrema dificuldade em avaliar como o surto está evoluindo, os impactos que ele pode ter e garantir que eles estejam fornecendo as recomendações mais adequadas. Como resultado, a OMS solicitou uma melhoria imediata no compartilhamento de dados. Quando se considera os números dos relatórios e as consequências extremas, surge uma pergunta: por que as organizações de saúde não estão relatando? 

RESISTÊNCIA DURANTE CRISES DE SAÚDE 

As organizações de saúde certamente não estão sozinhas quando se trata de resistência. Afinal, clínicos e colaboradores são pessoas. O que também aprendemos é que os médicos se adaptam diariamente às práticas médicas em constante evolução – mas podem ser alguns dos resistores mais fortes quando se trata de mudar.

O novo coronavírus apresenta aos médicos uma crise potencial e é necessária uma mudança imediata. Dado esse e os outros desafios que a comunidade de saúde enfrenta atualmente, a Gestão de Mudanças é extremamente relevante e deve ser implementada para obter um apoio crítico e obter sucesso com o tratamento, a gestão e a geração de relatórios sobre esta crise de pandemia. 

Contribuição: PROSCI.

0 comentários:

Postar um comentário