• STRATEGY BLOG
  • Site
  • Facebook
  • Linkedin
  • Google Plus
  • Youtube
  • Slideshare
  • Google Maps
  • Email

Fase de “Estruturação”: Impactos Organizacionais – Conhecendo as Dimensões dos Impactos





Olá, voltamos nesse post continuando a falar sobre Impactos Organizacionais.

No post anterior conceituamos o tema e hoje, daremos continuidade sobre as dimensões dos impactos, as etapas do trabalho e um exemplo de um impacto mapeado.

Os Impactos Organizacionais, na Metodologia Strategy©, são os reflexos das mudanças promovidas pela Companhia. As mudanças são identificadas a partir da diferença entre o cenário atual (“as is”) e o cenário futuro (“to be”) e os impactos devem ser tratados, se necessário, por meio de ações que apoiem uma transição organizada e controlada.

Os Impactos podem ter natureza positiva, quando trazem benefícios promovidos pela mudança, ou negativa, quando exigem ações de mitigação e minimização.

Vamos rever a diferença entre mudança e impacto. As mudanças são as causas dos impactos e os impactos são os efeitos das mudanças. Alguns exemplos:


 Clique na imagem, para ampliá-la.

Não há um padrão. Para cada Organização um mesmo tipo de mudança pode ocasionar diferentes impactos. Uma única mudança pode causar um ou mais impactos que podem ou não requerer tratamento.

É muito comum haver confusão com alguns termos técnicos e que são costumeiramente utilizados na linguagem de projeto como, por exemplo, impactos, riscos e issues. Neste caso podemos considerar que o risco é aquilo que deve ser apontado para caso o impacto organizacional identificado não receba o devido tratamento. Uma vez efetivado o risco, este se torna um issue.

Imaginemos uma empresa cuja estrutura se encontra em solo nacional, mas que, por uma abertura de mercado, teve parte de sua diretoria migrada para territórios internacionais. Em uma simulação em que a diretoria Comercial tenha permanecido e a Jurídica saído, poderíamos ver o seguinte exemplo:


 Clique na imagem, para ampliá-la.

Imaginemos agora que esses impactos não foram tratados em tempo hábil e de fato ocorreram perdas de prazos de licitações. O risco tornou-se então um issue, uma questão que já é realidade e que precisa ser resolvida em caráter de urgência para que não ocorram novas perdas, perdas essas que podem gerar um elevado grau de impacto no faturamento da Organização. Ou seja, um issue pode provocar novos impactos.

Mas como essa atividade ocorre na prática? Falamos anteriormente que as mudanças são identificadas a partir da diferença entre o cenário atual (“as is”) e o cenário futuro (“to be”). Dessa forma, sugere-se a seguinte organização:





Levantamento das Mudanças:
Em uma planilha liste, linha a linha, o cenário atual. Em uma coluna ao lado coloque o cenário futuro correspondente. A partir disso inicia o processo de análise para identificar a mudança e os impactos, bem como o risco que se corre no caso da não tratativa. Novamente, aqui também não há um padrão. Para cada Organização um formato de planilha, com mais ou menos informações pode ser construída. A esta planilha nomeamos Matriz de Impactos Organizacionais.

Análise dos Impactos: Além da natureza positiva ou negativa do impacto existem algumas dimensões de análise que, normalmente, se resumem em 4, conforme abaixo. Assim como para cada mudança pode ocorrer nenhum ou mais de um impacto. Cada impacto pode estar inserido em mais de uma dimensão de análise.


 Clique na imagem, para ampliá-la.



Importante que se diga que essa é uma atividade cuja responsabilidade costuma ser do dono de cada processo em mudança, por ser o único capaz de identificar a correta análise dos impactos, e essa pessoa deverá sempre estar em consonância com seus pares e superiores que, de alguma forma, se relacionem com a mudança, com o impacto e com a tratativa em questão. O papel de Gestão de Mudanças nesta fase, além do aporte metodológico e de promover a fluidez de comunicação entre todos os interessados, é acompanhar o raciocínio que cada pessoa está desenhando de modo a garantir a padronização entre todos e garantir que consigam perceber com precisão os impactos e em quais dimensões se encontram. 


Finalizo o post de hoje e no próximo continuaremos abordando a classificação dos impactos, as ações tratativas e o Plano de Transição e na oportunidade descreveremos a fase próxima fase de “Execução” da Metodologia Strategy©.

Esperamos que tenham gostado do post e lembrem de deixar comentários!

Até breve!



                                                                                      *Conteúdo produzido por Beatriz Stein e Vanusa Barbosa.



0 comentários:

Postar um comentário