• STRATEGY BLOG
  • Site
  • Facebook
  • Linkedin
  • Google Plus
  • Youtube
  • Slideshare
  • Google Maps
  • Email

Mude!




Entre consultores de Gestão de Mudanças Organizacionais, com frequência, é motivo de risos a constatação de que explicar o nosso trabalho aos amigos e familiares não é tarefa muito fácil.  Quase (ou todo?) consultor tem uma história para contar: “Minha filha acha que sou uma fábrica de Power Point”, “Minha mãe só sabe que tem a ver com RH”, “Meus amigos acreditam que tenho uma vida cheia de glamour, viajando toda semana”. 

Por que não deixá-los saber – afinal eles estão em diferentes empresas, áreas e níveis hierárquicos - que existem metodologias que apoiam e orientam processos de mudança? Que o cenário de instabilidade e insegurança provocado por uma mudança (de qualquer natureza ou proporção) pode ser normatizado, organizado, planejado e ter sua comunicação feita adequadamente, tornando a transição entre o estado atual e o estado futuro mais suave? 

Apesar de ser uma área bastante madura, a força de gestão de mudanças ainda é desconhecida para muitos, basta ver o esforço de apresentação do escopo de trabalho, objetivos e alinhamentos de expectativa (algumas vezes, mais de uma vez) que os consultores empenham ao iniciar um novo ciclo de trabalho.
  
Para muitos profissionais (gestores inclusive), descobrir que todos os personagens envolvidos na mudança precisam estar alinhados sobre o que há de novo é uma surpresa. Ainda agarrados à ideia de que “vai mudar, todo mundo tem que mudar e acabou”, eles não levam em conta o custo alto da falta de engajamento.  

Muito além de serem multiplicadores desta ferramenta, amigos e familiares merecem saber que, de forma geral, processos de mudança são necessários, não são fáceis nem simples, mas podem ser organizados. E isso, com as devidas adaptações de “temperatura e pressão”, aplica-se à vida pessoal também. No atual cenário de grandes mudanças no cenário político e econômico brasileiro, as consequências em nossas vidas pessoais são inevitáveis. Surgem incertezas e a necessidade (ou a imposição) de mudar. Nesse momento, é bom que saibam (e que nós saibamos) que estabelecer um plano, identificar apoiadores e opositores, comunicar adequadamente seu objetivo e treinar para estar adaptado aos novos cenários são ações importantíssimas para garantir o sucesso de qualquer projeto – pessoal ou profissional.


 *Conteúdo produzido por Mariana Barbosa.






3 comentários:

Jorge Bassalo disse...

A Mariana defende em seu post a importância de um processo para organizar as atividades de uma transição de mudança. E enaltece a necessidade de se fazer adaptações ao longa da jornada. Então, vamos controlar melhor as mudanças em nossas vidas profissionais e pessoais? Ou vamos seguir o mantra do Zeca Pagodinho?

Cláudius Jordão disse...

Muito atual a analogia realizada pela Mariana, pois, em tempos de crise, é cada vez mais urgente se adaptar e mudar rapidamente tanto para as empresas quanto para as pessoas nos remetendo a uma profunda reflexão.

Vanusa Barbosa disse...

Mariana, muito bom o seu texto! me identifiquei com a introdução do seu texto. Parabéns e está esclarecedor para o que fazemos.
Show Mari! Bjs

Postar um comentário